cruel1-540x272.jpg

 

Na peça, Gianecchini dá vida ao personagem Gustavo, um homem perspicaz e orgulhoso que, movido pelo sentimento de vingança, desenha os acontecimentos e os conduz à direção em que premedita. Encenado por Erik Marmo, Adolfo é um pintor inseguro, facilmente manipulado, mas sutilmente forte. Casado com Tekla (Maria Manoella), uma bonita, sedutora e sagaz escritora, Adolfo cai na armadilha do egocêntrico e cruel Gustavo, ex-marido dela. Tekla, objeto de desejo dos dois (de formas diferentes), apesar de sua frieza e inteligência, é vitimada pela articulação mal intencionada de Gustavo.

Com um texto atual e narrativa instigante, o espetáculo segue a principal característica do dramaturgo Strindberg no que diz respeito à predominância da violência psicológica.

Reynaldo Gianecchini e Erik Marmo (Foto: João Caldas)

Reynaldo Gianecchini e Erik Marmo (Foto: João Caldas)

Reynaldo Gianecchini e Maria Manoella (Foto: João Caldas)

Reynaldo Gianecchini e Maria Manoella (Foto: João Caldas)

Maria Manoella e Erik Marmo (Foto: João Caldas)

Maria Manoella e Erik Marmo (Foto: João Caldas)

Ficha técnica

Autor: AUGUST STRINDBERG
Direção e Adaptação: ELIAS ANDREATO
Elenco: REYNALDO GIANECCHINI, MARIA MANOELLA e ERIK MARMO
Cenário e Figurino: FÁBIO NAMATAME
Iluminação: WAGNER FREIRE
Trilha Sonora Composta: DANIEL MAIA
Direção de Arte: LAURA ANDREATO
Assistente de direção: ALINE MEYER
Preparação Corporal: VIVIEN BUCKUP
Preparação Vocal: EDI MONTECCHI
Fotos: JOÃO CALDAS
Programação Visual: VICKA SUAREZ
Produção Executiva: MAGALI LOPES
Coordenação de Produção: EGBERTO SIMÕES
Produtoras: SELMA MORENTE e CÉLIA FORTE
Viabilização: CONTEXTO CULTURAL
Patrocínio: BANCO VOLKSWAGEN e INTERNATIONAL MEALS COMPANY